Aos 50 anos, FOB mantém vocação de formar para mercado e academia

Publicado em Institucional, USP Online Destaque por em

Patricia Golini, especial para o USP Online

No dia 17 de maio deste ano, a Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP completa 50 anos de existência. Na mesma data, em 1962, a FOB recebeu sua aula inaugural, ministrada para uma turma composta por apenas dez alunos do curso de Odontologia. O ano será marcado por eventos que celebrarão a importância da FOB para a pesquisa em saúde e para a formação de profissionais ligados à área de fonoaudiologia e odontologia.

Desde 1945, políticos, comerciantes e membros do Conselho de Odontologia de Bauru se engajavam para que uma faculdade pública se instalasse na cidade. Foi então que uma lei, promulgada em 1948 pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, estabeleceu a criação de unidades de ensino superior vinculadas à USP. Entre as unidades instaladas no interior do estado, estava a Faculdade de Odontologia de Bauru, que na época, abrigaria dois cursos de graduação: Odontologia e Farmácia. “Mas, devido à grande oferta de cursos de ciências farmacêuticas no interior do estado, foi decidido, em 1965, que a FOB abrigaria apenas o curso de Odontologia”, conta o professor Paulo Amarante Araújo, que atualmente escreve um livro sobre o Jubileu de Ouro da FOB.

“Após a criação da Faculdade, as condições financeiras e administrativas do Estado não permitiram a pronta construção do prédio e instalação do curso”, conta o professor José Carlos Pereira, atual diretor da FOB. Para que as atividades da Faculdade fossem iniciadas em1962, a FOB teve de usar provisoriamente um prédio, onde deveria funcionar o Grupo Escolar Silvério São João.

As obras do novo prédio foram concluídas de 1966 e, em maio de 1966, a FOB passou a funcionar onde hoje está localizada, na Avenida Octávio Pinheiro Brisola. Em 1973, o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho), que realizava atendimentos desde 1967, foi institucionalizado como Centro Interdepartamental da FOB. A partir deste mesmo período, a Faculdade passou a receber os primeiros alunos de mestrado e doutorado em Odontologia. E em 1983, o ensino da graduação foi ampliado com a criação do curso de Fonoaudiologia, que foi efetivamente inaugurado em 1990 e tornou-se, na época, o único oferecido em universidades públicas da região. “Até hoje, a FOB formou 2100 cirurgiões-dentistas e 465 fonoaudiólogos e titulou 1270 mestres e 564 doutores em odontologia”, enumera Pereira.

Pesquisa e atendimento à sociedade

As pesquisas acadêmicas tiveram importância significativa nestes 50 anos de funcionamento da FOB. “O estudos realizados pela Faculdade visam sempre ao aprimoramento e melhorias no tratamento e qualidade de vida dos pacientes da instituição, tanto na área de odontologia quanto na de fonoaudiologia. As atividades da FOB traduzem uma conexão direta entre universidade e sociedade”, diz Pereira.

Para o atual diretor, a grande missão da FOB é a formação de recursos humanos, que serão empregados tanto na prática profissional nas áreas de fonoaudiologia e odontologia, quanto na docência e pesquisa de áreas correlatas.

O calendário comemorativo do Jubileu de Ouro da FOB, que conta com eventos artísticos e científicos, pode ser consultado no site da Unidade. 

.